Este livro de Maria Santana é o produto de sua dissertação de Mestrado em Educação realizado na Universidade Federal de Sergipe - UFS. Destaca-se como um trabalho no qual a autora, em sua pesquisa, esteve sempre aberta à diversidade dos fenômenos sociais e culturais.  A autora analisa as representações sociais de gênero, as expressões de violência simbólica no cotidiano do trabalho docente do povo indígena Xerente, visando a desvendar processos que sustentam as diferenças, preconceitos, hierarquização entre as integrantes desse grupo étnico.

No trabalho de campo foram especialmente destacadas as entrevistas do tipo histórias de vida realizadas com docentes indígenas e caciques da etnia Xerente e várias sessões de observações participantes, possibilitando captar as representações de gênero estruturadas no cotidiano das mulheres e do povo indígena Xerente.

A abordagem adotada busca saber qual o conjunto de referências responsáveis pela estruturação da percepção e da organização concreta e simbólica de determinada realidade, quais os códigos de gênero construídos em determinada realidade e como se dá a apropriação de tais códigos pelos sujeitos sociais. Não privilegia o discurso ou a linguagem em detrimento da experiência e das práticas sociais. Não se trata também de uma abordagem exclusivamente igualitarista dos estudos feministas; tampouco parte de constatações produzidas no interior do chamado feminismo da diferença. Trata-se de uma apropriação de gênero que se pretende entre a categoria analítica, proposta por Joan Scott, e a categoria empírica, ressaltada por Adriana Piscitelli. A abordagem adotada busca saber qual o conjunto de referências responsáveis pela estruturação da percepção e da organização concreta e simbólica de determinada realidade, quais os códigos de gênero construídos em determinada realidade e como se dá a apropriação de tais códigos pelos sujeitos. Eis um caminho no qual ainda há muito a ser trilhado, e o pressuposto básico é a busca pelo conhecimento sem dogmatismo frente às categorias selecionadas. Há apenas o desejo de conhecer, de modo mais criativo, dialogando com outras produções da área de ciências humanas em geral.

Com base na educação intercultural e nos estudos culturais este livro tem como objetivo apresentar uma análise das representações sociais de gênero e das expressões de violência simbólica no cotidiano do trabalho docente no interior do povo indígena Xerente, para desvendar processos que sustentam as diferenças, a hierarquização e a discriminação entre as integrantes desse grupo étnico socialmente discriminado.

Etnia, Gênero, Educação

REF: 0005
R$10,00Preço
  • Autora: Maria Santana Ferreira dos Santos Milhomem

Assine a nossa newsletter

© 2018 by NAGÔ Editora e Livraria

Designer by Sillva Sites